terça-feira, janeiro 19, 2010

A Vez de BelaBelle

Sobre a questão da compreensão dos poemas, claro que há muita maneira de um poeta se expressar. Até há poetas que jogam com a forma das letras e com a disposição delas na página… Enfim, o importante é que haja poesia…!

Mas agora ia centrar-me do questionamento que a Belle faz daquele poema do Piet Hein:

UM BRINDE

A alma pode ser mera ilusão
A mente, tão sem razão
Vamos então dar ouvidos
Ao que dizem os sentidos

Percebo perfeitamente que, lido hoje, por nós, que reconhecemos a espiritualidade e a tentamos desenvolver dentro de nós, este poema mostre um Piet Hein um bocado atrasado. Mais ainda, visto pela nossa poetiza brasileira - na verdade as raízes históricas do Brasil, em contacto com a cultura dos escravos africanos e dos povos autóctones, fazem os brasileiros muito mais abertos a coisas espirituais. Mas, atenção: O poema data de uns 40 ou 50 anos atrás!

Conforme refere Ken Wilber no texto “A Falácia Pré/Trans”, que coloquei na publicação anterior, desde o após-guerra que dominavam os materialismos no mundo Ocidental – aliás, o seu reinado apenas começou a ser contestado nos anos sessenta, com os Beatles a trazerem a Meditação Transcendental da Índia para a Europa.

Em oposição ao materialismo e existencialismo, só haviam as religiões bíblicas, com o seu obscurantismo e conivência com o poder, muito justamente rejeitados pela intelectualidade e pelos cientistas …

Então, o admitir que a alma “pode ser mera ilusão”, naquele tempo, só demonstra que Piet Hein ESTAVA AVANÇADO NO SEU TEMPO, pois não rejeitava liminarmente a sua existência…!

A agora, para terminar, aqui vão mais uns poemas de Piet Hein traduzidos por mim:

THE ETERNAL TWINS

Taking fun
As simply fun
and earnestness
In earnest
Shows how thoroughly
Thou none
Of the two Discernest.

OS ETERNOS PARES

Ver no rir, só a risota
e o sério, apenas gravemente
Só uma coisa denota:
Compreensão deficiente

THE ROAD TO WISDOM

The road to wisdom? -- Well, it's plain
And simple to express:
Err
And err
And err again
But less
And less
and less.

O CAMINHO PARA A SABEDORIA

O caminho para a sabedoria? – Em português
Explica-se bem nestes termos:
Erra
E erra
E erra outra vez
Mas menos
E menos
E menos...

ON PROBLEMS

Our choicest plans have fallen through,
Our airiest castles
Tumbled over,
Because of lines
We neatly drew
And later neatly
Stumbled over.

SOBRE OS PROBLEMAS

Os nossos melhores planos falhámos
Os mais belos castelos derrubados
Porque nas linhas que muito bem traçámos
Ficaram nossos pés embaraçados


Para a próxima, responderei ao nosso amigo Giovanni, esperando que continue assíduo no meu blog e vigilante…

2 comentários:

Belle Neves disse...

Passando para deixar o meu abraço, Álvaro, amigo querido!

Obrigada pela atenção e carinho!
Aprendo muito com os teus textos.

Beijos!
Belle Neves

Álvaro disse...

Estava a pensar, ainda este ano, passar o nome do blog, de "Feira das Vaidades" para "LoucosLúcidos", mas com comentários como este, da Belle, como posso deixar de ficar vaidoso...?