segunda-feira, novembro 19, 2007

GRANDE LIÇÃO...

Olá! Depois duma crise prolongada de preguiça e enquanto vou ganhando fôlego para mais elucubrações, traduzi isto do inglês, não sei quem é o autor...que acham?

Um rapaz de 10 anos decidiu estudar Judo apesar de ter perdido o braço esquerdo num terrível acidente de viação. Começou a ter lições com um velho mestre de Judo.
Estava a aprender tudo muito bem de maneira que não conseguia perceber porque, passados três meses de treino, o mestre apenas lhe tinha ensinado um golpe. E o rapaz acabou por lhe perguntar: “Sensei, eu não devia estar a apren-der outros golpes?”
“Este é o único golpe que sabes, mas é também o único que precisas de saber” respondeu-lhe o mestre.
Sem perceber muito bem mas acreditando no mestre, o rapaz continuou a treinar. Vários meses mais tarde, o mestre levou-o ao seu primeiro torneio.
Para sua grande surpresa, o rapaz ganhou facilmente os primeiros dois combates. O terceiro revelou-se mais difícil, mas depois de algum tempo, o seu adversário ficou impaciente e atacou; o rapaz aplicou o seu golpe com destreza e ganhou o desafio.
Ainda espantado com o seu êxito, o rapaz chegou às finais. Desta vez, o seu opositor era maior, mais forte e experiente. Por um bocado, o rapaz pareceu derrotado. Com medo que o rapaz se pudesse aleijar, o árbitro declarou um empate técnico. O desafio ia acabar quando o mestre inter-veio.”Não”, insistiu, “deixem-no continuar.”
Pouco depois do recomeço do desafio o seu adversário cometeu um erro crítico: baixou a guarda. Logo o rapaz aplicou o seu golpe para o apanhar, ganhando o torneio. Era o campeão!
De volta a casa, o rapaz e o Sensei estiveram a rever cada jogada de cada desafio. Aí, o rapaz ganhou coragem para perguntar ao mestre o que lhe ia na cabeça:
“Sensei, como é que eu ganho um torneio apenas sabendo um golpe?” “Ganhaste por duas razões,” respondeu o mestre. “Primeiro, porque dominaste na perfeição um dos golpes mais difíceis do Judo. E segundo, porque a única defesa conhecida desse golpe é o adversário agarrar o teu braço esquerdo.”

A maior fraqueza do rapaz tornou-se na sua maior força!

“Por vezes sentimos que temos uma certa fraqueza e culpamos deus, as circunstâncias ou nós próprios por isso, mas esquecemos que as nossas fraquezas se podem, um dia, tornar forças. Cada um de nós é especial e importante, portanto nunca devemos pensar que temos algum ponto fra-co, devemos ignorar orgulho ou dor do mesmo modo, devemos viver a vida ao máximo e tirar dela o melhor partido possível!”

4 comentários:

jorge vicente disse...

isto é o que eu chamo um post magnífico

um grande abraço
jorge

Marcia disse...

...e tudo começou por uma decisão: a de aprender a lutar, apesar de não ter o braço esquerdo. Belo exemplo de enfrentamento e superação de fragilidades!

Parabéns pela escolha do texto, um abraço carinhoso,
Márcia.

Manuel Marques disse...

É uma pena que venhas aqui tão pouco... assim como é uma pena eu não vos acompanhar nas saídas poéticas... mas quando tudo se compuser outros voos se levantarão, outras forças se sublimarão!

Entretanto o texto é sublime... e judo... pratiquei judo durante cerca de 10 anos... belo regresso o teu!!! Um abraço!

Anónimo disse...

A fraqueza de um Ontem foi a força de Hoje porque algures houve aceitação de si! Haja confiança num Outro e o Futuro acontece.
Obrigado pela oportunidade de reflexão!